29 de mar de 2010

A biblioteca das revistas de mulher pelada

Uma das primeiras coisas que aprendi quando entrei na universiade é que se um bibliotecário quiser criar o gosto pela leitura em alguém a primeira coisa a se fazer não é gritar aos quatro ventos que "Ler também é um exercício!" e sim encontrar formas de fazê-los ir à biblioteca. Não importa muito a forma, mesmo que ele venha uma primeira vez e nem encoste nos livros. Pode ser uma peça de teatro no espaço da biblioteca, uma exposição, uma festa, noite de autógrafos, etc. Mas o mais original que eu já ouvi falar foi o que a minha professora utilizou. Abriu na biblioteca que comandava um acervo de Playboys. Anos 80, internet ainda não existia, jovens com hormônios à flor da pele. A única forma de ver mulher pelada além de espiando a empregada gostosa no chuveiro era pelas revistas de sacanagem. Logo a biblioteca lotou de jovens ávidos para ver mulher pelada.
Provavelmente, você esteja se perguntando se tal artifício foi realmente eficaz. Afinal o objetivo era era pessoas lessem e isso não aconteceria com uma centena de Playboys dando sopa. Também me perguntei isso quando a professora me contou. Mas por dois motivos o objetivo foi alcançado. Primeiro, as revistas não podiam ser levadas para casa. isso evitava qye as revistas estragassem pelo uso que seria feito delas no banheiro mais próximo e que alguém simplesmente pegasse a revista e fosse embora. Segundo, só maiores de dezoito anos poderiam "ler" esse tipo de revista. Como os estudantes, tanto crianças quanto adolescentes, não eram burros nem nada iam com o irmão ou um primo mais velho de alguém da turma. O maior de idade folheava a revista e vinte ou trinta caras tentavam olhar as fotos por sobre os ombros dele. O resultado disso é que quase ninguém conseguia ver alguma coisa e acabava pegando um livro para ler. É isso mesmo. Vai ver algum deles diga aos parentes: "A Playboy me colocou no mundo da leitura!"
O que eu pude concluir disso tudo é que nem tudo o que se convenciona como correto e está nos livros é o ideal. E que a pornografia move o mundo!

2 comentários:

  1. Foi uma boa tática, mas ela não ia dar certo comigo!

    Isso porque eu nunca mais leria um livro. Só ia ver as revistas! :P

    ResponderExcluir