8 de abr de 2010

O senso comum sobre os gays

 Na Antiguidade, ainda não existia o conceito de homossexualidade. Era comum que homens transassem com outros homens, principalmente na Grécia e em sua relação de mestre e pupilo. O sexo com mulheres era feito com o único intuito de procriar. Com a popularização do cristianismo o sexo entre pessoas do mesmo sexo passou a ser visto como pecado e pessoas pegas cometendo esta falta foram presas pelo Tribunal da Inquisição na Idade Média. Após o fim deste polêmico orgão da Igreja o homossexualismo continuou sendo um crime em vários países e talvez a mais célebre pessoa ter sido presa por isso seja Oscar Wilde, autor de O Retrato de Dorian Gray.
  Já hoje, os gays tem sues direitos e lutam para acabar com o preconceito. Cada vez mais pessoas tomam coragem para assumir sua homossexualidade, chegando ao extremo de haverem pré-adolescentes que se assumiram sem medo do bullying que provavelmente sofreriam dos colegas.
  Eu, por meu lado, não tenho preconceito e vejo os homossexuais como pessoas perfeitamente normais como qualquer outra heterossexual. Claro que existem as piadas que insistem em fazer comigo porque sou são paulino. A maioria não é engraçada, mas de vez em quando, de quando em vez, aparece algo realmente bem bolado. "Murilo vai todo ano pra parada gay!" (Troféu Avatar pela "originalidade" dessa aqui) e inúmeras variações questionando a sexualidade de uma torcida de milhões de pessoas. A verdade é que por trás disso ainda existe uma idéia ultrapassada sobre os gays. Dia desses o amigo Filipe, corintiano, fazia piadas de são paulino enquanto eu revidava com as já manjadas piadas sobre os torcedores do Corinthians. Em determinado ponto a questão era saber o que era pior: ser chamado de gay ou bandido? Segundo o Filipe é muito melhor ser chamado de ladrão, marginal, futuro preso, trombadinha do que de uma pessoa normal, com uma opção sexual diferente. Isso não é uma idéia só dele. É de praticamente toda a nação brasileira. Aqui quando se quer afirmar que alguém é covarde, que é fraco, ou qualquer outra ofensa genérica, chama de boiola ou que não é macho. Por isso ser chamado de gay soa ofensivo para a maioria das pessoas e elas negam isso com todas as suas forças. É uma idéia ultrapassada, mas que não apresenta sinais de que cairá tão cedo. Enquanto isso uma torcida veste a carapuça (entenda aqui, alguns preferem ser chamados de ladrões do que de gays) de marginal se achando melhor que os outros.

(Update) O Filipe comentou no post e gostaria de reproduzir o que escreveu:

Entenda bem. Não disse que era melhor ser chamado de ladrão do que gay. Disse que prefiro ser ZUADO de marginal, do que de gay. Ponto. Daí a tornar isso uma questão de preconceito, é demais. 


Confirma o que eu disse no post sobre o senso comum.

Um gay pode querer ser gay, mas um hétero não? Simplesmente não gosto de ser chamado de gay porque não sou. Não tenho nada contra gays, nem tão pouco a favor. Eles lutam pelos direitos deles de não serem discriminados, só não esperem minha ajuda. Eles lá, Eu aqui...

E pera aí, chamar torcida de São Paulo de gay, é preconceito, e a do Corinthians (muito maior que a do São Paulo) de marginal (e outros) não? Tem coisa errada aí...

O post não tem nada a ver com isso. Como eu disse, não ligo para as piadas e se eu faço piadas sobre o Corinthians o mínimo que ele poderia fazer é revidar.

Mas cada um com suas opiniões!


5 comentários:

  1. era pior: ser chamado de gay ou bandido?....eu ri......muita gente excolhe bandido...pq passa uma imagem de machão temido por todos...mas é melhor ser gay e não fazer maul a ninguém d q ser um cara q nem pode entrar na própria casa pq os pais têm medo...se bem q têm gays q tbm não podem entar dentro de casa...mas depois os pais se acostumam..ja o bandido acaba na cadeia.....muito legal seu texto..um tema bem parecido com o q eu postei essa semana no meu blog..(mas o meu fala de mim)
    =*

    ResponderExcluir
  2. Eu realmente não esperava esse comentário do Filipe lá no twitter!

    Ainda mais se tratando de um jornalista e um corinthiano diferente da maioria!

    Eu não posso dizer que não tenho preconceito,é verdade, mas esse nível de preconceito eu não tenho!

    Os bandidos são aceitos, mas pessoas com uma opção sexual diferente não?

    Esse é um pensamento extremamente ignorantemente preconceituoso!

    Acho que vou aproveitar a sua idéia Murilo e escrever algo à respeito também!

    ResponderExcluir
  3. Cara quer mais foda do que o Alexandre, o Grande (gay), Aquiles (gay), e muitos outros motherfuckers ou melhor badass(es)Napoleão, qualquer um "dito macho" urinaria nas calças perto deles.

    Sem contar que a relação Samurai e aluno no japão feudal, o professor escolhia ou era escohido por algum aluno e com este mantinha relações sexuais não sei como era visto isso pelos alunos, mas o Mestre agradece.

    No mais os homosexuais são pessoas normais podem errar acertar, fazer o bem ou mal como eu você e o Filipe (rsrsrsr)

    ResponderExcluir
  4. Entenda bem. Não disse que era melhor ser chamado de ladrão do que gay. Disse que prefiro ser ZUADO de marginal, do que de gay. Ponto. Daí a tornar isso uma questão de preconceito, é demais.

    Um gay pode querer ser gay, mas um hétero não? Simplesmente não gosto de ser chamado de gay porque não sou. Não tenho nada contra gays, nem tão pouco a favor. Eles lutam pelos direitos deles de não serem discriminados, só não esperem minha ajuda. Eles lá, Eu aqui...

    E pera aí, chamar torcida de São Paulo de gay, é preconceito, e a do Corinthians (muito maior que a do São Paulo) de marginal (e outros) não? Tem coisa errada aí...

    Mas cada um com suas opiniões!

    ResponderExcluir
  5. fuzzy9:27 PM

    o problema não é o homossexual, pois homossexualidade é normal, e deve ser respeitada, o foda são as bichas embustidas, esses não tem gênero de sexualidade, pra mim, são bichos.
    homossexual são normais mas bichas isso pra mim é podre.

    ResponderExcluir