1 de mar de 2010

Trabalho de escola rende cada merda

Esse cordel foi produzido por mim e um grupo de amigos que só queriam saber de matar aula a pedido da professora de literatura. Conversa vai, conversa vem, a gente já ia tirar zero mesmo, então chutamos o pau da barraca e produzimos um cordel safado e que quase rendeu nossa expulsão da escola. Dica: o cordel melhora no terceiro parágrafo.


Essa é a história de João
Um cabra da peste
Que nasceu e cresceu
Lá no sertão de Nordeste

João homem trabalhador
Comia argila e sal
Comia tanta argila
Que às vezes passava mal

João comia argila porque
Não tinha nada pra comer
Se você vacilar
Ele vai comer você

João era viciado
Bebia e fumava maconha
Não arrumava mulher
Vivia quebrando uma bronha

João plantava maconha
Trabalhava na sua plantação
Ele fumava tanto
Que sempre ficava doidão

Certo dia João revoltou-se
Partiu pra zona urbana
Pensou que chegando lá
Teria uma vida bacana

João saiu do sertão
E foi pra cidade
Quando chegou lá
Passou foi necessidade

João queria trabalhar
A fome já lhe causava dor
Ele arranjou um emprego
Ator de filme pornô

João foi dispensado
Tinha pinta pequena
Ele enfiava nas nega
E elas tinham era pena

João cansou dessa vida
Decidiu voltar pro sertão
Voltar pra sua rotina
E ficar só na mão

Um comentário:

  1. Esse é o João de Santo Cristo, foi desse cordel que surgui a inspiração do Renato Russo para escrever Faroeste Caboclo. hahahahaha

    ResponderExcluir