24 de jul de 2010

A busca de um diferencial do cinema

Pelos meus cálculos eu só assisti três filmes no cinema em toda a minha vida. Paixão de Cristo (Só assisti porque me pagaram o ingresso), Homem-Aranha 3 (Meh) e Tropa de Elite (PEDE PRA SAIR! PEDE PRA SAIR!). Só. Por ano devem ser lançados uns 100 filmes e eu vi apenas 3 na vida. A única coisa que me deixa realmente sentido em não ter o hábito de assistir filmes no escuro e com um telão gigante é que eu sei que todas as produções exibidas não são feitas com o intuito de serem vistas em DVD ou na TV a cabo. Elas são feitas para serem assistidas no cinema! Claro que a escala disso varia bastante. Ninguém precisa gastar vinte reais pra ver um filme como o Bem Amado. Mas é extremamente aconselhável paagar para ver coisas como Senhor dos Anéis, Distrito 9 e, por que não?, Avatar. Memos que depois você amaldiçoe o momento em que decidiu fazer isso porque não gostou do que viu eles são os melhores para ver no cinema.
Contudo, a verdade mesmo é que não existe nada hoje em dia além do famigerado 3D que faça uma diferença tão grande entre assistir um filme no conforto do lar ou pegando uma fila monstro antes e ter que aturar a sinfonia de celulares tocando durante a exibição do longa. Com o andar da carruagem logo todos os lançamentos abusurão da tecnologia.
A estratégia de explorar uma nova forma de se ver filmes para atrair um maior público e assim conseguir uma bilheteria mais rentável não é nova, tampouco eficaz eternamente. Quando quase ninguém ia mais ao cinema porque já se encontrava satisfeito com a dose de entretenimento diária que as recém-criadas TVs proporcionavam os empresários resolveram expandir o tamanho da tela, antes um quadrado, para o atual retângulo que conhecemos. Hoje já existem televisões com o mesmo formato de tela. Me pergunto o que as pessoas que ganham a vida com cinema vão inventar quando as TVs em 3D se popularizarem. Enquanto esse dia não chega, permaneço assistindo os últimos lançamentos daqui de casa.

5 comentários:

  1. Murilo, eu acho que assistir um filme no cinema é algo mais do que ver um filme em uma tela gigante, é o fato de interação. Eu por exemplo gosto de ver como as pessoas reagem a filmes que eu gosto (gostei) e quando eu gosto de um sempre o indico as pessoas.
    Para mim, assistir a um filme na telona ainda é mágico (sou cinéfilo de carteirinha), pena que a grana não sobre tanto quanto o número de filmes que estreiam. E por último, não acho que o 3D seja um diferencial, já que quase todos os filmes saem em 3D desde a febre AVATAR, uma boa estória que envolva a plateia, que a faça rir ou até chorar, este sim é o grande Diferencial dos Filmes hoje em dia, infelizmente estes filmes com alma estão perdendo espaço para os filmes com engrenagens.

    ResponderExcluir
  2. @Douglas Barbosa

    Mesmo a interação pode ser facilmente encontrada em casa, assistindo um filme com os amigos. Mas admito que no cinema temos isso em uma escala muito superior.

    ResponderExcluir
  3. Eu concordo com o Douglas.

    Acho que o cinema da sua cidade deve ser bem ruim eh Murilo! hahaha

    Além do que, você paga caro eh (20 reais)!

    Eu não concordo que só o 3D seja a diferença entre assistir em casa ou no cinema, a menos que a sua TV e som seja ducaralho! hahaha

    ResponderExcluir
  4. Murilo, você é muito eu hahahaha.
    Vi poucos filmes no cinema, não por não gostar (adoro aquela sensação de que o som na verdade tá saindo da sua cabeça hahaa), mas porque tenho preguiça. Gosto do controle, de poder voltar e parar o filme quantas vezes eu quiser.

    Mas acredite, o cinema é muito mais que ver o filme com uma qualidade superior. É praticamente uma norma social e por isso, duvido que tenhamos que nos preocupar.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo10:41 PM

    ????????

    ResponderExcluir