10 de mai de 2010

A invenção do Diabo

Um anjo vigoroso, um dos mais poderosos do Reino dos Céus, responsável por selecionar junto a Deus as pessoas que mereciam ir para o Paraíso. E um ser monstruoso, de feições animalescas, que induz os fiéis ao pecado e que traiu o Senhor por inveja. O primeiro corresponde a Lúcifer na visão dos cristãos do Oriente, o segundo na visão do cristianismo ocidental. Mas como um anjo pode ter duas imagens tão díspares se ambas as divisões são baseadas na mesma Bíblia?
Segundo consta na Bíblia, Lúcifer seria um anjo do mais alto escalão divino, com a missão de testar a fé dos fiéis. Mas não se encontra uma única palavra sobre traição e anjos caídos nela. A primeira referência a este acontecimento só foi surgir no século III pelas mãos do teólogo Orígenes de Alexandria, que fez de Lúcifer (ou Diabo, de diabolus, acusador em grego) um anjo invejoso que, por orgulho, tentou sobrepujar Deus e foi expulso do Céu. Mesmo com essa visão, o Diabo não era considerado pelos cristãos uma ameaça tão grande.
Séculos depois, a Igreja mantinha seus esforços para se tornar uma religião universal. Querendo alcançar este objetivo, fez-se necessário derrubar as demais. Os judeus eram atacados por terem sido eles os que ordenaram a crucificação de Jesus. Restavam as formas mais antigas de religião. As pagãs. A Igreja Católica precisava de um inimigo maior, que levasse a culpa de todo o mal existente. Acabou sobrando para Lúcifer. Explorando a idéia concebida por Orígenes, foi dada uma importância avassaladora ao personagem, associando-o à figuras distintas (Em nenhum momento do Gênesis se diz que a Serpente é o Diabo, por exemplo). Se antes Lúcifer era imaginado como um anjo convencional, ele ganhou chifres e patas de bode, asas de morcego, cauda e outras feições animalescas comuns às divindades pagãs. Assim, as pessoas que insistissem nestas formas de religião poderiam ser perseguidas e condenadas como hereges.
Atualmente, o Diabo é força que prende os fiéis à Igreja. Qualquer pecado leva ao inferno e somente nela se encontra a salvação. Bom, pelo menos resultaram coisas boas deste processo. Surgiram bandas como o Kiss e Black Sabbath, filmes como a Profecia (e o fraco Exorcista), Supernatural foi feito e me deu tema para esse post, que eu já estava há um tempão sem atualizar o blog.

5 comentários:

  1. Ótimo post!

    Eu ainda estou eperando mais do Lúcifer no Supernatural!

    Faz uma lista ai dos melhores diabos dos filmes e séries!

    ResponderExcluir
  2. Parafraseado Bart Simpson: "As melhores bandas tem parte com o Diabo!"

    ResponderExcluir
  3. Exorcista fraco? Vai pra puta que pariu!!

    ResponderExcluir
  4. Exorcista fraco? Vai pra puta que pariu!! [2]


    Hahahaha...

    ResponderExcluir
  5. Anônimo12:29 PM

    Com todo o respeito mas seu texto carece de fontes.

    ResponderExcluir