6 de abr de 2010

Séries sobre a visão de quem não entende nada do assunto

As séries norte-americanas impressionam pela alta qualidade (nem todas) e seus roteiros são mais bem elaborados do que a maioria dos filmes que são lançados hoje em dia pelos EUA. Claro que três séries de CSI e quatro Law e Order não são exatamente sinônimo de originalidade, mas eu nem gosto destas séries. A minha opinião sobre algumas você vê se tiver saco abaixo: 

Chuck

Rende bons momentos de comédia e o protagonista Zachary Levi é carismático. Mesmo explorando um clichê mais antigo do que este blogueiro que vos fala dos nerds serem uns retardado consegue ser engraçado. Mas as infindáveis missões do Chuck cansam com o tempo. Pra mim já acabava na terceira temporada.

Psycho

A história de um cara que foi tree]inado pelo pai desde pequeno para ter alto poder de percepção e captar tudo o que acontece à sua volta resolve ganhar uns trocados resolvendo casos para a polícia afirmando ser um vidente. Dá pra dar umas risadinhas e tal, mas se passam umas cicno temporadas e a série não avança em nada em termos de história. Se você assistir a primeira temporada e pular para a quarta você não perde nada. E isso não é um elogio.


Smallville

Preciso falar alguma coisa? Acabam logo com essa merda!

Gossip Girl
Por algum motivo macabro assisti o primeiro episódio. Cara, isso conseguiu ser muito pior que Malhação. Tem tudo o que Malhação tem de ruim, só que pior. Personagens rasos, intriguinhas núcleo rico e núcleo pobre e etc.


CSI Las Vegas

Demorei pra me acostumar com essa série. Achava os atores ruins, criticava as souções para os crimes (sem clímax algum) e me perguntava em que mundo os peritos criminais interrogam testemunhas.Continuo fazendo tudo isso, mas me acostumei com a série e passei a admirar a construção dos personagens, todos com seus traumas e ambições. Mas CSI Miami ainda é melhor que o CSI original e o Horatio é mais foda que o Grissom!


Big Bang Theory


Me identifico com algumas cenas e a série tem seus momentos. Mas só. Não é daquelas séries que te fazem pensar depois que aparecem os créditos finais. E isso vale mais para mim do que qualquer sitcom, que não consiste basicamente numa história, e sim uma coleção de piadas.


Lost


Taxada de enrolada pelos próprios fãs da série Lost finalmente vai acabar. Lost desafia as leis das obras de suspense já que enquanto os lostmaníacos formulavam teorias loucas os roteiristas tomavam soluções esquisitas. Se um personagem que estava marcado para apenas três episódios agradava o público ele virava parte crucial da história. Ou seja, aparentemente os criadores criaram toda a série pra só depois pensar nas soluções dos mistérios.


House


House inovou as já manjadas séries médicas. Enquanto programas como ER focavam no drama dos pacientes as atenções aqui se voltam para dar o diagnóstico correto. A graça da série é toda o seu protagonista, o Dr. House interpretado pelo Hugh Laurie. Inspirado em Sherlock Holmes ele caça bactérias como se fossem criminosos. Aliado a um dos melhores personagens da televisão americana atual a série House tem na sua sinceridade em expor conflitos humanos a razão do seu sucesso. Aprendemos a confiar no julgamente do Dr. house, porque ele revela suas boas intenções no final do episódio, salvando o paciente.


Supernatural


O que começou como uma simples jornada de dois irmãos pelos Estados unidos em busca do pai desaparecido enquanto caçam monstros e assombrações deu saltos qualitativos de temporada em temporada até se tornar uma das melhores séries da atualidade. Se na primeira temporada Sam e Dean só buscam pistas sobre o paradeiro do pai até que se revele que ser matou sua mãe, a segunda mostra que a história era bem mais do que isso, mostrando Sam adquirindo poderes paranormais e lutando pela sobrevivência com os "meninos" de Azazel. Já a terceira é, bem, chata. Quinze episódios de Sam se lamuriando que Dean vai morrer em um ano porque ele vendeu sua alma para que o irmão voltasse a vida não é bem o meu ideal de diversão. Poderiam ter acabado no quinto episódio e ter feito uma morte mais chocante visualmente para Dean. Afinal ele é devorado vivo por um cão do inferno e a cena ainda ficou ruim.
Porém na quarta temporada veio a grande subida qualitativa. O desenvolvimento dos protagonistas, a pesquisa aprofundada sobre Deus que ia muito além da Bíblia e uma visão completamente inovadora sobre os anjos e os demônios,colocando em constante dúvida quem é bom ou ruim, os anjos ou os demônios. Sem falar da interligação de tudo o que aconteceu nas temporadas anteriores provando que o criador Eric Kripke sabia muito bem o que queria da sua série desde o primeiro episódio de Supernatural e que ele não é como os criadores de Lost.
Na quinta temporada vemos a continuação do Apocalipse, tendo Lúcifer (Sam) e Miguel (Dean) que se enfrentar até a morte. A má notícia é que a série foi renovada para uma sexta temporada. Kripke, que pensou toda a sua série em cinco temporadas, vai deixar de escrever a série, ocupando somente o cargo de produtor. Só nos resta saber o que os roteiristas vão inventar depois de Lúcifer.


Dexter


Uma das melhores, se não a melhor série da atualidade. Dexter não se resume a mostrar a rotina de um psicopata que mata criminosos, mas com tem que conciliar sua compulsão à sua vida. Um protagonista complexo e reviravoltas no roteiro (como a do último episódio da última temporada) garantem que a série não pare, esteja sempre em evolução. E também demonstra que os autores não tem medo de matar personagens se preciso para fazer a série andar.

Diários de um vampiro

Podiam mudar o nome da série já que tem pouco a ver com a série de livros que se inspirou.


Everybody Hates Chris (Todo mundo odeia o Chris)


Sei que disse não gostar muito de sitcons, mas com essa série é diferente. Muito do que o personagem Chris passa na série eu já passei ou passo em casa. Infelizmente a série baseada na infância e na adolescência do comediante Chris Rock foi cancelada sob alegação de sair do enredo inicial, justamente porque a nova temporada seria focada no início da carreira humorística de Chris, e na morte de seu pai, Julius, em 1988.

3 comentários:

  1. Eu gosto do Chtis, não assisto/assisti lost e dexter, adoro o house, curto the big gang theory, smallvile ja devia ser adulto, super natural já assisti alguns episódios e gostei o resto não sei não assisti eu só ouço falar/blogar.

    ResponderExcluir
  2. Destes, eu gosto e assisto o CSI, House, Dexter, Supernatural e Todo mundo odeia o Chris.

    Não concordo com você quanto ao CSI ( só CSI, não tem nada de Las Vegas no nome!)

    Supernatural é a melhor série ai!

    ResponderExcluir
  3. cara não tem nem comparação é sobrenatural mesmo

    ResponderExcluir